Para pintar os cabelos, não existe a melhor opção entre tinta ou tonalizante. Existe a que melhor se adapta ao seu objetivo. Isso porque os dois têm a mesma finalidade de colorir os fios, porém os produtos agem de formas diferentes, já que um têm amônia e o outro não.

TONALIZANTE 

O tonalizante dura menos do que uma coloração permanente, porque tem baixa concentração de água oxigenada e não têm amônia. Por conta disso, o produto desbota com mais facilidade e exige um retoque mais frequente.

Além disso, o tonalizante não clareia o cabelo, mas dá um brilho incrível para quem busca realçar a cor natural ou ainda tem vontade de escurecer as madeixas, só que tem dúvidas a respeito do tom ideal. Nesse caso, o tonalizante é a melhor opção.

TINTA PERMANENTE

Para quem já tem certeza sobre o tom que deseja pintar ou ainda pretende clarear as madeixas, é melhor usar uma coloração permanente. Ela dura bem mais do que o tonalizante e consegue clarear até três tons, dependendo da sua cor base.

No entanto, a tinta requer cuidados especiais, porque, se não for aplicada corretamente, respeitando as orientações da caixinha, ela pode manchar os fios, por causa da amônia, a coloração tende a ressecar os cabelos, então é preciso cuidar muito bem deles antes e depois de colorir.

NEM TODAS AS QUÍMICAS SÃO COMPATÍVEIS COM A TINTA

A grande vantagem do tonalizante é que ele pode ser usado em qualquer tipo de cabelo, inclusive os que são quimicamente tratados. Por outro lado, algumas químicas não são compatíveis com a tinta, ou seja, não dá para pintar.

Caso você tenha usado henê ou relaxantes à base de tioglicolato ou guanidina, aplicar a coloração pode trazer sérios riscos, incluindo um corte químico. Escovas progressivas não impedem o uso da coloração permanente, mas não é indicado fazer os dois procedimentos no mesmo dia, para não alterar o tom ou danificar as madeixas.